22 de janeiro de 2010

Ribbentrop, um ministro do exterior sob medida para Hitler

Nascido em Wessel em 1893, Joachim von Ribbentrop estudou na Alemanha e na Suíça. Com a declaração da Primeira Guerra Mundial, retornou para a Alemanha para participar da frente oriental. Foi condecorado com a Cruz de Ferro, promovido a tenente e enviado para Constantinopla.

Em 1918, retomou suas atividades comerciais. Casou-se com a herdeira da fábrica de champanhe Henkell, dedicando-se aos negócios. ambicioso e arrogante, provou ter parentesco com uma tia distante da família Ribbentrop somente para adquirir o título de nobreza "Von". Conheceu Hitler em 1930 e, em 1932, filiou-se a seu partido, travando amizade com Franz Von Papen, Já Joseph Goebbles tinha-lhe grande antipatia, pois considerava-o um aproveitador. Ribbentrop esforçava-se em mostrar que era um nazista fanático. Por ter relações de trabalho no exterior, dominava vários idiomas, mas desconhecia as relações internacionais. Isso não impediu que Hitler, a quem bajulava, o adotasse como conselheiro em questões internacionais.

Em 1933, com os nazistas no poder, foi enviado para a Inglaterra, onde se reuniu com o ministro Ramsay MacDonald e, em 1934, adquiriu um cargo diplomático paralelo ao do ministro de Assuntos Exteriores Konstantin von Neurath. Hitler encaregou-o de algumas tarefas secundárias relacionadas à Comissão de Desarmamento, e ele viajou a Paris, Londres e Roma, com a intenção de convencer as potências de que a Alemanha não tinha a intenção de tornas-se uma potência militar. Rm 1935, foi nomeado ministro plenipotenciário, encarregando-se de negociar um acordo naval com a Grã-Bretanha e o Pacto Antikomintern. Por serem questões complexas, Neurath temia que a falta de preparo de Ribbentrop as conduzisse ao fracasso. Entretanto, o ministro conseguiu o que planejava: ganhasr a confiança de Hitler. Soube aproveitar a simpatia que o nazismo despertava nas altas camadas da sociedade britânica para articular que ingleses influentes interessados em conhecer o Füher - a quem consideravam a melhor barreira contra o avanço comunista - visitassem a Alemanha. Em 1936, Hitler nomeou Ribbentrop embaixador em Londres, com a missão de conseguir uma aliança com a Grã-Bretanha, o que não deu resultados. Apesar disso, em 4 de fevereiro de 1938, foi nomeado ministro de Assuntos Exteriores, por ser leal e partidário de guerra.

Tentando isolar a Inglaterra, Ribbentrop conduziu as negociações do pacto com a URSS, conhecido como Ribbentrop-Motolov: assim como o pacto tripartite entre Alemanha, o Japão e a Itália. Durante a Segunda Guerra Mundial, convenceu vários governos a derpotarem os judeus a fim de exterminá-los.
Depois da derrota na guerra, refugiou-se numa pensão em Hamburgo. Foi encontrado e preso pelo Exército britânico na noite de 14 de junho de 1945. Processado e acusado de crimes contra a paz e genocídio, foi julgado pelo tribunal de Nuremberg e condenado à morte. Foi o primeiro líder nazista a morrer enforcado, em 16 de outubro de 1946. [G.C]

FONTE: Coleção 70º Aniversário da II Guerra Mundial Nº 01


Related Posts with Thumbnails

Nenhum comentário: