21 de dezembro de 2009

Invasão da Polônia


Depois de todas as conquistas territoriais da Alemanha, Hitler decidiu que o próximo alvo seria a Polônia, ele pensou que quando havia invadido os outros países, as potências mundiais nada haviam feito, além de protestos verbais, isso o deixou tranquilo, pois acreditou que com a Polônia não seria diferente.


O governo polonês, imaginando que seria o próximo alvo do ditador alemão, estabeleceu acordos com a França e a Inglaterra de proteção de fronteiras, ou seja, qualquer agressão militar que algum país cometesse contra a Polônia, haveria ajuda militar desses países. Isso gerou tranquilidade, mas não evitou que as pretensões e Hitler se realizassem. Hitler achou que esse acordo não seria valorizado, muito menos posto em prática.

O ditador queria que essa operação fosse realizada o mais breve possível. Mas seus generais pediram tempo, pois temiam que, se invadissem a Polônia a França poderia responder com um ataque na fronteira ocidental, sendo assim, tendo uma guerra de dois fronts, o que seria extremamente ruim se eles não estivessem com o mínimo de preparação. Hitler teve de dar tempo a seus generais, para que eles pudessem ajeitar bem as linhas de defesa da fronteira com a França.

Antes de a invasão ocorrer, Hitler quis assegurar-se de que podia invadir os poloneses, sem uma reação da URSS, que era na época uma das maiores potências mundiais. Para assegurar isso, ele enviou seu Ministro de Relações Exteriores, Von Ribbentrop, a URSS, para assinar um acordo com o Ministro de Relações Exteriores russo, Motolov, de Não-Agressão entre ambos os países, esse pacto ficou conhecido como Pacto Motolov-Ribbentrop.

Com a preparação dos generais prontas na fronteira com a França, tudo estava dentro do previsto nos planos de Hitler, no dia 1º de setembro de 1939, as 4h45min, tropas alemãs reagindo a um suposto ataque polonês a uma rádio alemã o que mais tarde foi comprovado ser uma armação alemã, ultrapassam a fronteira com a Polônia e os primeiros ataques terrestres, aéreos e navais são feitos. Num porto polonês na cidade de Dantzig, havia um navio alemão que estava se reabastecendo, quando as primeiras tropas cruzaram a fronteira, o navio disparou contra a cidade, primeira atividade hostil dos alemães em território polonês.

O avanço alemão dentro do território polonês foi rápido, pois as forças militares eram bem superiores aos dos poloneses, a Polônia a pouco havia entrado numa época de renovação de equipamentos bélicos, por isso muito dos equipamentos empregados nas batalhas eram ainda da Primeira Guerra Mundial. A Wehrmacht (Exército Alemão) obtinha de uma rápida e eficiente estrutura de abastecimento, por isso não teve problemas nesse sentido.

O exército alemão engajou suas melhores tropas, pois queria provar que tinha construído uma eficientíssima máquina de guerra, ele usou 37 divisões de infantaria, quatro de infantaria motorizada, quatro divisões blindadas leves, uma de montanha, uma brigada de cavalaria, seis tanques Panzer e uma multiplicidade de unidades paramilitares. Os alemães montaram uma estratégia que envolvia dos exércitos principais, o Grupo de Exército Norte e o Grupo de Exército Sul. O Grupo de Exército Norte abrangia um total de 630 mil soldados, e o Grupo de Exército Sul de 886 mil soldados, No total, essas duas tropas juntas formavam 559 batalhões de infantaria. O exército polonês, despreparado e mal equipado, encontrava-se em muita desvantagem, obtinha 376 batalhões de infantaria. O exército polonês obtinha de 3700 peças de artilharia de desvantagem, sendo que eles tinham 2065 e os alemães 5805.

Como a Alemanha exigiu que a URSS honrasse o pacto declarando guerra a Polônia, os soviéticos o fizeram alegando que estavam protegendo os territórios da Bielorússia. Com isso os russos obtinham cerca de 800 mil soldados na Polônia. A Polônia também estava em desvantagem no número de tanques de guerra e muitos outros, incluindo a esquadra de aviões.

A Luftwaffe alemã teve papel fundamental na guerra com a nova tática, a Blitzkrieg, o ataque relâmpago alemão, onde novas táticas de guerra foram empregadas, a força aérea alemã destruiu vários pontos importantes do exército polonês, arrasando as cidades com intensos bombardeios, também destruiu várias das aeronaves polonesas ainda no solo, e as que levantaram voo, foram na maioria abatidas, pois eram bem inferiores em quase todos os aspectos.

Logo após a invasão alemã, os poloneses pediram a ajuda da França e da Inglaterra alegando que deveriam honrar os acordos, mas apenas no dia 3 de setembro de 1939, é que os franceses e os britânicos aderiram aos acordos. Os franceses para ajudarem os poloneses, organizaram um ataque rápido na sua fronteira com a Alemanha, esse ataque foi rapidamente repelido, pois além da preparação alemã estar em boas condições, os franceses por causa da pressa, organizaram um ataque rápido mas mal organizado.

A Inglaterra, agiu por meio de bombardeios, só que os primeiros em vez de bombas, eram lançados folhetos pedindo pela paz, depois de ver que isso seria algo impossível, a paz, entrou na guerra definitivamente, e com grande força.

Os ataques da França e da Inglaterra não evitaram que os alemães conseguissem dominar a Polônia.

Depois que o governo polonês chegou a conclusão de que não havia mais solução, deu ordens para que as tropas se retirassem do país, o governo se exilou com sua marinha na Inglaterra, e outras muitas tropas fugiram para a Lituânia, França e para a Romênia.


Related Posts with Thumbnails

Nenhum comentário: