13 de setembro de 2010

Efeito retardado


Solo alemão tem milhares de bombas não detonadas.

Munição da Segunda Guerra encontrada
em um parque de Berlim, em 2007
O solo da Alemanha esconde um arsenal de mais de 2 mil toneladas de bombas aéreas americanas e britânicas despejadas durante a Segunda Guerra Mundial, além de armamento da Primeira Guerra e de treinamentos russos na antiga Alemanha Oriental. Todo ano são recuperados vários tipos de explosivos, desde granadas de mão e minas antitanque até projéteis de artilharia russa. Só que, à medida que os anos vão passando, torna-se cada vez mais perigosa a missão de encontrar e desarmar esses artefatos não-detonados.

Somente no estado de Brandenburgo, esquadrõesde localização de bombas, empreiteiras e até crianças encontram em média 631 toneladas de munições anualmente. O maior problema é que a Alemanha, no esforço de reconstrução pós-1945, reergueu rapidamente suas cidades e não teve tempo de localizar e neutralizar esse tipo de material. Mais de 60 anos após o fim do conflito, a região do leste alemão sofre com o perigo da grande quantidade de bombas americanas com detonadores de efeito retardado que estão se tornando cada vez mais instáveis e inviabilizam o trabalho de desarmamento com segurança.

Projetadas para estourar entre 2 a 146 horas após atingir o solo, essas bombas podem ser deflagradas repentinamente porque seus detonadores químicos sofreram desgaste pelo vapor de acetona enquanto jaziam enterradas. Muitas vezes, em razão do solo, os projéteis acabavam ricocheteando após penetrar no chão e ficavam posicionadas com a ponta para cima. E isso impediu que o fracasso de acetona, usado na detonação, se rompesse e impossibilitou o derretimento do disco de celuloide que travava o pino disparador.

Fonte: Revista Grandes Guerras - Edição 27 - Fevereiro de 2009


Related Posts with Thumbnails

Nenhum comentário: