26 de setembro de 2010

O milagre de Dunquerque


Em maio de 1940, soldados aliados
foram obrigados a ir a pé, por dentro
d'água, até os barcos que os levariam
a salvo para a Inglaterra
Mais de uma ano antes da Batalha de Moscou, Hitler hesitara também à beira da vitória, maiz uma vez dando ao adversário a oportunidade de se reagrupar. Em 20 de maio de 1940, as forças francesas e britânicas foram encurraladas quando alemães, em progressão, se concentraram sobre Flandres. A evacuação por mar era a única fuga possível. A Operação Dínamo, utilizando barcos militares e civis, começou em Dunquerque , em 24 de maio, permitindo que se iniciassem as manobras de salvamento.

Primeiro, foram transportados com êxito, através do canal da Mancha, até os penhascos de Dover, os 28.000 homens encarregados das comunicações e da instrução. Depois, com alguns esperando pacientemente com água até o pescoço, milhares de militares aliados foram salvos por barcos, grandes e pequenos. Esta flotilha estraordinária atingiu o número de 848 barcos, incluindo 45 navios de passageiros, 230 embarcações de pesca e mais de 200 lanchas particulares. Em 26 de maio, Hitler mandou prosseguir os tanques, e o combate foi feroz. Quando a operação foi suspensa, a 3 de junho, um total de 338.226 soldados ingleses, franceses, belgas e holandeses estavam a salvo na Inglaterra. Dunquerque, com cerca de 40.000 homens, rendeu-se às 9 da manhã desse dia.

Por que os serviços secretos alemães não relataram a Hitler que o Canal estava colhado de barcos de salvamento enquanto os seus tanques continuavam parados? Fosse qual fosse a explicação, a fuga das forças de Dunquerque foi outra oportunidade perdida pelos exércitos do Terceiro Reich.

Fonte: Livro Garndes Mistérios do Passado - EditoraReader's Digest


Related Posts with Thumbnails

Um comentário:

Anônimo disse...

Os alemães por ordem de Hitler deixaram os aliados atravessarem, um indicativo que a Alemanha não queria a guerra ao contrario dos Ingleses e Americanos